Mercado tecnológico e Gaseificação de Resíduos

Após a Segunda Guerra Mundial, não se pode negar que houve um incremento tecnológico relevante em todas as áreas de atuação. Contudo, outras áreas, não muito promissoras no que concerne a vantagens comerciais, não foram muito desenvolvidas, como no caso de destinação de resíduos sólidos.

A tecnologia de gaseificação já entrou em seu estado-da-arte no início do século XXI, mas já era utilizada no séc. XIX para produção de gás de carvão, utilizada para iluminação pública em Londres. De qualquer forma temos que sair da comodidade de jogar o lixo ainda em grandes depósitos a céu aberto. O aproveitamento energético proveniente de resíduos já se encontra bem implantado em várias partes do mundo. Se bem aproveitado, pode sim ser vantajoso, não somente no aspecto ambiental como também no aspecto econômico.

O artigo Thermodynamic Analysis of Behavior in Combined Cycles Operating with Biogas and Municipal Solid Waste apresenta o uso do biogás proveniente de um processo de gaseificação de resíduos, chegando a uma potência líquida em um ciclo combinado com Rankine a vapor de 53%. Com esse processo, chega-se a um montante de 1.969 Kg/h de gás carbônico evitado e 91,5 g/kWh de metano evitado, que significa menos danos à camada de ozônio e consequentemente menos emissão dos chamados gases de efeito estufa.

Leia o artigo na íntegra:

https://dergipark.org.tr/tr/download/article-file/722367

Comments for this post are closed.